Um filme de Borgonha bem ao jeito Português

Bem vindos Wine Lovers

Decidi escrever uma critica a mais um filme sobre vinho e como este pode mover corações.


Um filme que retrata uma família de 3 irmãos que se reúne após 5 anos devido ao falecimento do pai, sendo apanhados desprevenidos quando este decide deixar a herdade pela qual sempre lutou numa herança partilhada entre os 3 filhos. Curiosamente, o mais velho, filho que teria entrado em divergência com o pai 5 anos antes devido ao facto de querer ir conhecer o mundo, era produtor de vinho na Autralia, a única mulher deste trio já teria iniciado a sua carreira na enologia junto do pai, mas não sabia se seria o que realmente desejava fazer durante a vida, enquanto o irmão mais novo já teria casado com a filha de uma família que possuía uma herdade próxima da que lhes foi entregue e que teriam de gerir ou de vender.
Inicia-se assim uma odisseia Francesa bem ao gosto Português onde os valores familiares se misturam com a tradição de fazer vinho e onde o Novo Mundo se alia ao Velho Mundo para quebrar barreiras ideológicas. Certamente podemos esperar muita divergência quando uma mentalidade de produção de vinhos "prontos a beber" com maior acidez, mais aromáticos e simples se mistura com uma mentalidade de vinhos de "guarda", com mais complexidade, mais elegantes, mais abertos aos sentidos.
Ao ver este filme penso sempre nas herdades portuguesas que passaram de geração em geração e que sendo elas grandes ou pequenas, tentam sempre honrar todo o trabalho realizado pelos seus antepassados de preservação das características familiares que percorrem as vinhas e adegas que a todos pertencem. Certamente podemos hoje em dia ver que grandes herdades históricas de Portugal têm vindo a ser cedidas a grandes empresas como a Sogrape, Symington, entre outras, mas depois olho sempre para a Bairrada onde os saberes das grandes empresas passaram de geração em geração, quem diria que as Caves Messias chegariam onde chegaram? São hoje uma das maiores empresas a nível nacional, referencia internacional e condecoradas no passado dia 16 como a melhor empresa de vinhos fortificados.
As Caves de São Domingos, outra empresa familiar que tem passado entre gerações e tem dado muito que falar.
Entre outras que pela via do vinho conseguiram unir os seus representantes e seguir em frente com toda a força necessária para que singrem no mundo competitivo dos vinhos.
A cada poda, a cada vindima, cada um sente mais que a propriedade é dele, este é um dos lemas deste filme e uma lição que devemos levar para toda a vida.
Aconselho a verem e a sentirem a emoção desta família e a pensarem neste assunto de união entre familiares que cada vez é mais importante na nossa vida.